Progresso das Obras dos Cuidados Continuados

Abr 30, 2011

UMA OBRA DE ENORME PROJECÇÃO

Quando a placa do rés-do-chão ficou feita, em toda a extensão, mostrava um pouco o tamanho da obra. Os quatro mil e duzentos metros previstos, entre a cave o rés-do-chão e o primeiro andar dá uma área de cerca de 1700 metros quadrados de implantação do edifício.

Depois vem a cave que não estava prevista em toda a extensão, mas que fica ampla. Como a placa do 1.º andar fica cerca de 1,50 metros acima do nível do solo, do lado norte, até parece mais um piso.

Por outro lado além da medida regulamentar, a altura do andar tem cerca de 80 cm a mais, para todo o género de canalizações, que são muitas, possam passar entre o tecto falso e o piso de cima. Isto quer dizer que cada andar tem que ter um pé direito que ultrapassa os 3 metros.

Assim sem contarmos a cave temos só dois pisos, mas a altura do edifício ainda é grande devido ao pé direito de cada piso, acrescentando metro e meio que sai do solo, sobretudo do lado norte.

A vedação que a empresa construtora colocou não permite ver de fora o nível do primeiro piso, ficando o piso ao nível do cimo da vedação. Depois de tirar a vedação é que se vê melhor toda a altura do edifício e também a dimensão.

Neste momento quem vê o edifício do lado poente parece grande, mas ainda não se vê nada da parte do Lar de Idosos. Porque desta parte ainda não se levantou nada: as linhas de alta tensão ainda não foram mudadas e passando por uma esquina do edifício dificultam a manobra da 2.ª grua com segurança.

Quando a obra na parte do Lar começar a levantar-se então é que se vê a extensão de todo o edifício que em profundidade tem pouco menos de 100 metros, o que é muito. Na parte da frente do edifício, lado sul, já se começou a fazer a placa da cobertura que vai ser feita em quatro partes se seguirem a regra dos outros andares, tendo mesmo em conta as juntas de ligação. No primeiro piso foi até feita por cinco vezes.

O levantar da obra estava previsto para acabar em Abril, principio de Maio, mas a verdade é que vai atrasar um mês pelo menos, dependendo também da remoção das linhas de alta tensão que começa a ser urgente retirá-las.

Há dias alguém falava na “máquina de despejar betão” que é mesmo uma máquina de despejar a argamassa para as placas.

ALGUMAS FOTOS

cuidados continuados Avanca
cuidados continuados de Avanca
cuidados continuados Avanca

OFERTAS PARA O CENTRO PAROQUIAL

No final de Março apareceram-nos facturas respeitantes a este mês de 300 mil euros. É certo que neste valor está o adiantamento de 5% do valor do lar, alguns trabalhos que já tinham sido feitos nos meses anteriores e ainda não tinham sido lançados, respeitante também ao Lar de Idosos, e também o valor do IVA a 23% que em principio vamos recuperar.

Mas são uma aflição estes números. Até as despesas eram só do lado dos Cuidados Continuados, mas agora são as despesas dos Cuidados Continuados e do Lar de Idosos que aparecem.

A crise no país também nos preocupa e teremos de arranjar formas de angariação de fundos. Neste mês surgiram-nos ajudas significativas que não são nada, mesmo sendo muito.

As empresas que fazem parte da “Pacopar”, organização das empresas químicas de Estarreja, deram-nos 15.000 euros no seu conjunto. As dádivas foram assim: Cires, Dow Portugal, Cuf. Ar Líquido de 3.262,5 Euros cada uma.

A empresa A.Q.P. – Aliada Química de Portugal deu 1.450 euros. A empresa de transportes T.J. Amaral. deu 500 euros. Esperamos que não seja a última vez. Ao todo são 15.000 euros.

O Senhor António Dinis Matos Tavares deu 6.000 euros. No dia da festa dos nossos idosos o peditório da missa rendeu 309,00 euros e foi destinado para este fim. Também o Senhor Bispo de Aveiro entendeu destinar 660 euros para os Cuidados Continuados correspondente a 1% da receita da paróquia que foi entregue e depois nos foi oferecido com um pequeno acrescento.

A atitude do Senhor Bispo D. António Francisco significa muito devido à falta que a Diocese tem de receitas. A Diocese está também envolvida num novo lar para os padres, familiares e empregados que tenham trabalhado mais na Igreja.

Uma pessoa anónima entregou 50 euros e a Preciosa através do seu irmão Senhor Vitorino entregou 300 euros. O Senhor Armando Guerreiro Lima entregou 250 euros na Visita Pascal. Maria Soares Couto Carvalho (Ovar), 50 euros; anónimo 100 euros. O Senhor Manuel Arlindo Valente Rodrigues, 500 euros. A Senhora Maria Isabel Teixeira, 50 euros.

O Reitor recebeu uma oferta do Rotary Clube de Estarreja no valor de 1.000 euros que destinou às obras, quer dos Cuidados Continuados, quer do Novo Lar.

Há necessidade de criar várias iniciativas e cada Avancanense poderá interrogar-se sobre o que poderá fazer para esta obra que será importante para esta freguesia e para a nossa região.

Porque a obra tem interesse para todos, pois ninguém poderá dizer que não precisa dela, pois pelo menos dos Cuidados Continuados, sendo um hospital de retaguarda vai servir para aqueles que precisam de recuperar duma operação, duma outra doença, podem ser enviados do hospital para os Cuidados Continuados para prolongar os tratamentos.

É por isso que entendemos que podemos por o problema a todos os grupos: quer aos grupos cristãos que vivem ligados à Igreja e até utilizam as instalações do Centro Paroquial, quer aos grupos civis, que vão também ter benefício por haver na terra uma obra destas.

Arquivo